sábado, novembro 29, 2008



Aquela rua agitadamente calma, aquelas pedras (des)alinhadas, aquelas paredes amareladas. Aquele som das rodinhas que se arrastam pela rua e as sirenes que correm ao fundo.

Aquela casa escura cheia de vida, aquela porta que quase não para, o elevador incontrolavel. Aquele riso que ninguem controla e a campainha silenciosa.

Aquilo que não se explica porque ninguem entende.

São momentos, apenas isso. Breves instantes.

1 comentário:

JDS disse...

Feliz 2009 =)